undefined

Ao contrário de outros países, em Portugal não existe a figura de tradutor certificado. As traduções certificadas são assinadas por um tradutor, sendo a sua assinatura certificada em advogado ou notário.

Em Portugal uma tradução certificada, para utilização exclusiva em Portugal, é constituída pelas seguintes três partes:

1) O documento ou texto na língua original.

2) O texto traduzido na língua de destino.

3) Uma declaração assinada pelo tradutor, com a sua assinatura, certificada por um advogado ou notário, em que o tradutor declara sob compromisso de honra que a tradução foi efetuada por si, e que esta é fiel à versão original do documento.

Uma tradução certificada em Portugal para ser utilizada num país estrangeiro, contém igualmente a Apostila de Haia. A Apostila de Haia é uma formalidade na qual a Procuradoria Geral da República certifica a autenticidade dos atos públicos (neste caso a certificação de tradução emitida por advogado ou notário) emitidos em Portugal. Os países que aceitam a Apostila de Haia são apenas aqueles que tiverem ratificado ou aderido à Convenção de Haia. O site da Conferencia de Haia contém a lista atualizada dos países signatários e aderentes: http://www.hcch.net/instruments/conventions/?cid=41.

Convém relembrar que da tradução certificada fazem parte todos os documentos mencionados acima, e que nenhum destes documentos pode ser retirado, sob pena de a tradução certificada perder a sua validade. Isto significa que se desejar solicitar a tradução de um documento original que preveja no futuro necessitar para outros fins, então convém não apresenta-lo para a tradução, mas sim uma fotocópia certificada do mesmo. Exemplos de documentos nestes moldes são uma Certidão de Nascimento, um Diploma de Curso, declarações médicas, entre outros. Em suma, todos aqueles documentos que são difíceis ou impossíveis de voltar a obter, ou cujo o custo da sua obtenção o torne impraticável.

Contacte-nos se tiver mais dúvidas em relação às traduções certificadas: info@m21global.com.