Damos continuidade ao tema da edição anterior e vamos desbravar mais dicas para os gestores empenhados saberem lidar o melhor possível com os seus colaboradores.
Sem dúvida que conseguir de um colaborador o melhor que ele pode dar e, ao mesmo tempo, contribuir para a sua realização requer um conhecimento básico das necessidades humanas.
Confrontado com um desajustamento, o gestor frequentemente reage sem uma análise cuidada da situação. Os nossos preconceitos influenciam-nos, ainda que não o queiramos, e as primeiras reações poderão ser prejudicais.
Um quadro que nos ajuda a compreender os que nos rodeiam é a compreensão das necessidades humanas e da sua hierarquia. Basicamente o ser humano tem necessidades:
        Fisiológicas
        De segurança
        Sociais
        De estima
        De auto-realização

      Como se pode ver na Pirâmide das Necessidades de Maslow, estas necessidades estão hierarquizadas e tornam-se prementes à medida que as necessidades de nível mais baixo são satisfeitas. Por exemplo, um homem com fome ou frio não estaria teoricamente preocupado com necessidades sociais e nem as sentiria. Quando, porém, as necessidades de um nível mais baixo estão satisfeitas, as superiores começam a manifestar-se.

      Uma forma mais detalhada da pirâmide de Maslow apresenta-se a seguir:


 
A hierarquia de Necessidades de Maslow  não é absoluta e a ordem da necessidades pode ser modificada. Isto verifica-se, por exemplo, no caso dos monges ascetas em que a auto-realização está em primeiro lugar e no caso dos pais que sacrificam a própria vida para salvar a dos filhos.  
Há ainda duas necessidades extra que podem manifestar-se ou não, geralmente próprias de minorias, e que são a necessidade de conhecer e as necessidades estéticas.

Tendo em conta estas variações possíveis da hierarquia das necessidades para influenciar positivamente o comportamento humano importa perceber quais as necessidades prementes que este precisa satisfazer e criar condições para que a situação e o trabalho contribuam para a sua satisfação.

 Continuamos na próxima edição: não perca!