Notice: Undefined index: HTTP_ACCEPT_LANGUAGE in /var/www/vhosts/entrada_m21global.com/m21global.com/httpdocs/blog/classes/builder.php on line 5
 M21 Global - Dicas sobre Gestão e Tradução

Gestão e Tradução: Perigos no uso de Wi-Fi Pública

undefined

Em toda a parte encontramos “Wi-Fi gratuita”: nos hotéis, nos restaurantes e noutros espaços públicos. Geralmente são-nos entregues os dados para acesso na receção. Outras vezes isso não é possível (aeroportos, centros comerciais, etc.), e os dados são-nos fornecidos diretamente na página do serviço de Wi-Fi gratuita.

Em qualquer dos casos não estamos seguros:

Um pirata de dados sentado nas proximidades, sem computador à vista, pode estar a emitir um sinal mais forte com o nome da rede a que se pretende ligar. Ou pode intercetar a ligação Wi-Fi.

Segundo um estudo publicado na Harvard Business Review, o objetivo principal dos piratas nos EUA é o roubo de dados financeiros e a espionagem económica. E também o roubo de outros dados comprometedores se divulgados.

Alguns conselhos:

• Não use Wi-Fi pública para compras online, uso da banca online ou ao inserir os seus dados de acesso em qualquer site ou plataforma;

• Use uma rede privada virtual (VPN), para criar uma rede dentro de uma rede, mantendo toda a informação trocada encriptada;

• Implemente a autenticação de dois níveis (cartões matrizes, receção de SMS, etc.) ao fazer login em sites confidenciais, porque, mesmo que um pirata já tenha os seus dados de acesso não possui os dados adicionais;

• Visite somente sites seguros (HTTPS) quando em locais públicos, em oposição a endereços HTTP menos protegidos;

• Desative a funcionalidade de conectividade Wi-Fi automática no seu telefone, para que não busque automaticamente hotspots;

• Desligue a função Bluetooth quando estiver em locais públicos para impedir a interceção;

• Use de preferência a banda larga móvel (3G ou 4G) em espaços públicos.

• Se é tradutor freelance e foi trabalhar fora para “espairecer” não envie a sua tradução para ninguém utilizando essas redes gratuitas, principalmente, se o texto a traduzir contiver nomes de empresas, “press releases” e outros dados confidenciais que não podem ser divulgados antes de tempo.

Embora Portugal não seja um alvo prioritário, há sempre alguém a tentar obter ganhos sem esforço, e quando viajar redobre de cuidados e não confie na Wi-Fi do seu hotel, mesmo de luxo (o alvo mais comum).

O que é uma tradução certificada?

undefined

Ao contrário de outros países, em Portugal não existe a figura de tradutor certificado. As traduções certificadas são assinadas por um tradutor, sendo a sua assinatura certificada em advogado ou notário.

Em Portugal uma tradução certificada, para utilização exclusiva em Portugal, é constituída pelas seguintes três partes:

1) O documento ou texto na língua original.

2) O texto traduzido na língua de destino.

3) Uma declaração assinada pelo tradutor, com a sua assinatura, certificada por um advogado ou notário, em que o tradutor declara sob compromisso de honra que a tradução foi efetuada por si, e que esta é fiel à versão original do documento.

Uma tradução certificada em Portugal para ser utilizada num país estrangeiro, contém igualmente a Apostila de Haia. A Apostila de Haia é uma formalidade na qual a Procuradoria Geral da República certifica a autenticidade dos atos públicos (neste caso a certificação de tradução emitida por advogado ou notário) emitidos em Portugal. Os países que aceitam a Apostila de Haia são apenas aqueles que tiverem ratificado ou aderido à Convenção de Haia. O site da Conferencia de Haia contém a lista atualizada dos países signatários e aderentes: //www.hcch.net/pt/instruments/conventions/?cid=41.

Convém relembrar que da tradução certificada fazem parte todos os documentos mencionados acima, e que nenhum destes documentos pode ser retirado, sob pena de a tradução certificada perder a sua validade. Isto significa que se desejar solicitar a tradução de um documento original que preveja no futuro necessitar para outros fins, então convém não apresenta-lo para a tradução, mas sim uma fotocópia certificada do mesmo. Exemplos de documentos nestes moldes são uma Certidão de Nascimento, um Diploma de Curso, declarações médicas, entre outros. Em suma, todos aqueles documentos que são difíceis ou impossíveis de voltar a obter, ou cujo o custo da sua obtenção o torne impraticável.

Contacte-nos se tiver mais dúvidas em relação às traduções certificadas: info@m21global.com.

99% dos clientes satisfeitos!

No âmbito do processo de melhoria continua da M21 Global, começámos no inicio de Março de 2016 a enviar automaticamente a todos os clientes um questionário de satisfação, após a conclusão e entrega dos trabalhos de tradução.

O questionário tem quatro perguntas base:

1. Qual o seu grau de satisfação com os nossos serviços em geral?

2. Qual a probabilidade de recomendar os nossos serviços a um colega ou amigo?

3. Qual o seu grau de satisfação em relação ao atendimento recebido?

4. Qual o seu grau de satisfação em relação ao serviço de tradução efetuado?

Enviámos cerca de 300 questionários entre os dias 1 de março e 2 de Junho de 2016, e recebemos 58 respostas. Ou seja, uma amostra de cerca de 20% de todos os clientes deste período, o que nos leva a crer que o resultado pode ser extrapolado para a totalidade do universo dos nossos clientes.

Se tivermos igualmente em consideração que é mais provável que um cliente pouco satisfeito dê a sua opinião do que um cliente muito satisfeito, então estes números assumem dimensões realmente fantásticas, o que nos deixa muito satisfeitos.

Os clientes que responderam podem ser caracterizados da seguinte forma:

  • Empresas Estrangeiras e/ou Multinacionais 45%
  • Empresas Portuguesas Lda. 22%
  • Empresas Portuguesas S.A. 14%
  • Entidades Públicas 7%
  • Clientes Particulares 7%
  • Escritórios de Advogados 5%

 

E os resultados às 4 perguntas foram os seguintes:

 

undefined

 

undefined

 

undefined

 

undefined

 

undefined

Não perca tempo quando pede uma tradução

undefined

1 – Está a perder tempo se não se identificar - Um pedido não identificado gera dúvidas e implica mais um telefonema ou um e-mail a que tem de responder, o que atrasa todo o processo. É vantajoso identificar-se logo à partida, pois só assim podemos oferecer um orçamento à sua medida. Envie o seu nome ou o da entidade para a qual trabalha, morada, contacto mais direto e NIF, de modo a que seja possível fazer o registo do orçamento. Não perca tempo, IDENTIFIQUE-SE.

2 – Está a perder tempo se não referir a língua de destino - Pode ser um lapso, puro esquecimento ou porque pretende traduzir sempre para a mesma língua, mas quem recebe o seu pedido não o sabe. Lembre-se de que trabalhamos com dezenas de combinações linguísticas em simultâneo. Não perca tempo, INDIQUE A LÍNGUA DE DESTINO.

3 – Está a perder tempo se não disser qual o prazo real que tem - Precisa da sua tradução para ontem e, por essa razão, faz a menção de que a mesma é muito urgente? Refira a data de entrega em que precisa realmente do trabalho. Pedir prazos desnecessariamente curtos não o ajuda, só complica e encarece a tradução. Ao indicar o prazo de que dispõe permite-nos entregar-lhe o serviço mais eficaz. Não perca tempo, INDIQUE O SEU PRAZO REAL DE ENTREGA.

4 – Está a perder tempo se não enviar o conteúdo para tradução - Um pedido em que refere apenas o número de páginas, de linhas ou de palavras para tradução não é orçamentável. Necessitamos de analisar o texto a traduzir. Num orçamento, há vários fatores que influenciam o preço final, como a dimensão do texto, a complexidade do tema, o grau de especificidade técnica ou até o formato em que é entregue. Se tem o documento no formato original que lhe deu origem, por exemplo Word ou InDesign, não nos envie um PDF. Poupe tempo e dinheiro, ENVIE O FICHEIRO EM FORMATO EDITÁVEL.

5 – Está a perder tempo se não esclarecer as nossas dúvidas – Ao fazer o seu pedido, tente inteirar-se do processo de tradução. O trabalho passa por diversas fases, não é simplesmente mudar o texto para outra língua. Não considere como excêntricos os pedidos da empresa de tradução, tais como a necessidade da adjudicação por escrito, entrega de um glossário dos termos usados na sua empresa, ou o contacto de quem pode esclarecer dúvidas. Facilitam e agilizam o nosso trabalho, e contribuem para uma tradução com a melhor qualidade. Não perca tempo, RESPONDA ÀS NOSSA SOLICITAÇÕES.

Uma mente dispersa não é uma mente feliz

undefined

Um estudo realizado por psicólogos da Universidade de Harvard revelou que as pessoas passam 47% das suas horas de vigília a pensar em algo diferente daquilo que estão a fazer e que essa dispersão da mente torna-as infelizes.

"A habilidade de pensar sobre o que não está acontecendo é uma conquista cognitiva que tem um alto custo emocional" dizem os autores Killinsworth e Gilbert, os psicólogos de Harvard que conduziram o estudo.

Ao contrário de outros animais, os seres humanos gastam muito tempo a pensar sobre o que não está acontecendo ao seu redor: contemplando eventos que aconteceram no passado, podem acontecer no futuro, ou podem nunca acontecer.

As pessoas são mais felizes no ato do amor, ao fazer exercícios, ou a conversar. São menos felizes quando descansam, trabalham, ou usam um computador em casa.

"O nível de dispersão da mente é um excelente preditor de felicidade das pessoas" dizem os autores que a frequência com que as nossas mentes abandonam o presente, e para onde vão, é um melhor indicador da infelicidade, do que as atividades que estamos de facto a desenvolver.

O estudo mostra que a divagação mental é geralmente a causa, e não a consequência, da infelicidade.

"Muitas tradições filosóficas e religiosas ensinam que a felicidade pode ser encontrada vivendo o momento presente, e os profissionais são treinados para resistir à divagação da mente e ‘estar aqui agora’. Estas tradições sugerem que uma mente dispersa é uma mente infeliz", segundo os autores.

A crescente prática de disciplinas orientais tais como o Yoga e a Meditação corresponde certamente a uma necessidade interior das pessoas.

Este novo estudo sugere, segundo os autores, que estas práticas estão corretas.

Mas como podemos treinar as nossas mentes para estarmos mais presentes?

Fazer de cada dia um compartimento estanque. Remoer o passado ou preocupar-se com o futuro é completamente inútil. Pense no futuro apenas quando precisar de fazer planos. Registe o plano e siga-o enquanto se mostrar apropriado. Se o plano se tornar inadequado com o tempo, reformule-o. Faça planos, mas não se preocupe. Note que a palavra preocupação quer dizer “pre-ocupação” (do latim praeoccupatiōne-, «ocupação prévia».).

Viva o momento presente. Se está a conduzir, observe os sinais, a sua velocidade, a distância ao carro da frente e manobre com atenção. Não vá a pensar na reunião que vai ter, nem no que aconteceu antes de sair de casa. Ouça música e não noticiários. Coloque um CD relaxante.

Quando quiser ficar a par do que se passa, ouvindo notícias ou lendo o jornal, então faça isso, mas apenas isso.

Se está com pessoas concentre-se nelas e na conversação que está a ter. Não esteja ausente.

Antes de chegar ao trabalho, por exemplo no carro quando estacionar, ou a caminho no comboio, tente passar 10 minutos a prestar atenção ao momento presente. Feche os olhos, descontraia-se, e sentado com uma postura direita, foque-se na respiração. Inspire, e expire, inspire e expire. Se for caso disso, conte até 10 com cada um destes movimentos. Vai reparar que um sem número de vezes a sua mente vai estar distraída seguindo um pensamento qualquer. Quando reparar que está distraído, volte a focar-se na respiração. Acima de tudo não se preocupe se a sua mente se estiver sempre a distrair, aprecie estes momentos de calma e concentração.

Defenda-se do email: trate o email como o correio clássico: só chega uma vez por dia. Não leia o email repetidamente (exceto se o seu trabalho for baseado no email recebido). Não fique às ordens.

Ao longo do dia, tente manter a sua atenção no momento presente e nas tarefas que está efetivamente a executar, e naquilo que efetivamente está a acontecer no seu dia. Tente tirar momentos em que para, respira fundo, e se foca no momento presente. Depois de almoço, experimente colocar um alarme no seu telemóvel para apitar uma vez a cada hora. De cada vez que o telemóvel apitar, pare o que está a fazer e concentre-se na respiração durante um minuto. Mantenha a mente focada na respiração (“no momento presente”).

Finalmente, ao final do dia, depois de sair do trabalho e a caminho de casa, volte a parar durante 10 minutos. Desligue o rádio e o telefone, e durante este período simplesmente esteja presente. Deixe que todos os pensamentos que aparecem passem e fluam. Foque-se na sua respiração. Assim vai libertar-se do stress do dia no trabalho, e pode preparar-se para regressar a casa e estar de facto presente com a sua família.

Empresas e Negócios

undefined

Temos os recursos técnicos e humanos necessários à criação de excelentes traduções com qualidade ímpar. No tema Empresas e Negócios, para dar o exemplo de um tema recorrente, já traduzimos mais de 50 milhões de palavras com destaque para as áreas jurídica, fiscal, económica, financeira e administrativa, em mais de 25 línguas...

Além das línguas tradicionais: portuguesa, inglesa, francesa, espanhola e alemã, traduzimos também para todas as línguas da união europeia, tal como por exemplo o italiano, o flamengo ou o dinamarquês. Traduzimos também para russo, árabe ou chinês.

Os clientes que se lançam na internacionalização e dezenas de startups têm-se apoiado na M21 Global, recebendo um serviço de qualidade superior, pagando menos. Oferecemos todos os serviços de tradução escrita, reescrita (copydesk), provas finais para artes gráficas, para os mercados nacional e internacional, estudos de mercado e angariação de contactos estrangeiros, e damos igualmente apoio ao import/export, em todas as suas vertentes.

Internet

O website da sua empresa é hoje a sua montra e, cada vez mais, o seu ponto privilegiado de venda. É importante que o Website transmita a mensagem apropriada nas línguas importantes do negócio e seja funcional, intuitivo e fácil de usar. O site deve ser preparado, logo na sua criação, para ser encontrado na primeira página de resultados das máquinas de busca (SEO). Um website que não é encontrado é um website invisível. Um website invisível é um website que não vende, acumulando prejuízos.

Um website invisível é também aquele que só está em português. Cada vez mais residentes em Portugal têm uma outra língua materna que não a portuguesa. [nota ao tradutor, alterar residentes em Portugal para Reino Unido, Espanha, França ou Alemanha, e a respetiva língua nativa]. A tradução do seu website para as principais línguas não encarece substancialmente o seu custo, e traz-lhe retornos imensuráveis de visibilidade em novos mercados.

Com a M21 Global a internacionalização será mais efetiva e económica! Será sobretudo de melhor qualidade!

Qual é o serviço de tradução que melhor serve os seus objetivos?

undefined

Para atingir um dado objetivo uma empresa ou um particular pode necessitar de uma tradução. Vivemos num mundo global, em que o nosso cliente, o nosso fornecedor, o nosso parceiro, enfim, o nosso interlocutor pode falar uma língua estrangeira.

São muito e variadas as finalidades de uma tradução, por exemplo, sem sermos exaustivos, mas dando exemplos das necessidades que nos são apresentadas todos os dias:

  • catálogo para clientes finais (B2C, targets individuais – decisões de baixo risco);
  • catálogos para clientes empresariais (B2B, targets coletivos – decisões com maior risco);
  • especificações técnicas;
  • manuais técnicos (para profissionais) ou manuais para o utilizador (consumidor final);
  • pedidos de autorização para introdução de medicamentos ou testes de novos medicamentos;
  • contratos (finais ou documentos de trabalho);
  • demandas judiciais;
  • publicidade;
  • relações públicas;
  • newsletters;
  • publicação em jornais generalistas ou em revistas profissionais ou científicas;
  • publicação em livro;
  • publicação no website da empresa ou em redes sociais;
  • otimização do conteúdo de websites nas máquinas de pesquisa (SEO);
  • propostas para concursos;
  • CV de colaboradores;
  • documentos pessoais ou empresariais;
  • certidões;
  • relatórios de contas;
  • etc., etc. ...

A finalidade e o valor do resultado pretendido determinam o nível de serviço, o estilo a utilizar, se há necessidade de reescrita, se é necessária edição gráfica final, e outros.

Antes de contratar a empresa de tradução deve certificar-se de que esta cumpre os requisitos para lhe proporcionar o serviço requerido. A quantidade de prestadores de serviços de tradução no mercado é elevada, e muitos afirmam prestar um serviço que não estão aptos a fornecer. Adquirir experiência, conhecimentos técnicos, recursos tecnológicos e bases de dados terminológicas, assim como formar recursos humanos exige elevados investimentos e tempo.

A M21 Global oferece o serviço mais apropriado, ao melhor custo para cada finalidade. Estamos presentes no mercado há 10 anos, tendo traduzido mais de 60 milhões de palavras nas mais diferentes áreas, com variados objetivos.

A nossa empresa cumpre a Norma de Qualidade ISO 17100, específica da atividade de tradução.

Ao pedir uma tradução especifique sempre a sua finalidade, o prazo mais realista que deseja (prazos desnecessariamente apertados induzem custos mais elevados e inviabilizam o serviço mais apropriado), e quaisquer outras especificações únicas da sua empresa e da sua realidade.

Ao contratar connosco a sua tradução pode dormir descansado. Nem a sua empresa nem a sua posição ficarão em risco.

Se tiver dúvidas sobre a tradução ou se achar que não satisfaz a sua especificação, nós esclarecemos as suas dúvidas ou refazemos o trabalho até ficar satisfeito, sem custos adicionais. O nosso serviço pós-venda só termina quando o cliente achar que este pode terminar.
Estamos aqui para si. Entre hoje em contacto connosco para lhe apresentarmos as propostas mais adequadas.

Alinhe connosco!

O QUE É A NOVA NORMA DE TRADUÇÃO ISO 17100

undefined

Esta norma que substitui a norma europeia EN15038 foi publicada a 1 de maio de 2015 e especifica novos requisitos para os serviços de tradução: ISO 17100: 2015. O facto de a norma europeia ser a base da nova norma internacional demonstra a validade da EN 15038 e é também um sinal de que esta norma foi bem recebida por todos os interessados, fornecedores e clientes.

A norma apresenta os requisitos necessários para a prestação de um serviço de tradução de alta qualidade. Quais foram então as principais alterações introduzidas?

  • A nova norma fornece uma lista alargada de quarenta e duas definições relativas a diferentes conceitos relacionados com serviços de tradução, o fluxo de trabalho da tradução e da tecnologia utilizada, o controlo do processo de tradução, etc.
  • Considera também as ferramentas e sistemas de TI como suporte ao processo de tradução. De acordo com a norma, os tradutores e revisores, bem como prestadores de serviços de tradução devem ter o conhecimento e os recursos necessários para serem capazes de realizar as tarefas técnicas exigidas pelo projeto de tradução.
  • Faz a distinção entre vários tipos de revisão: verificação, revisão, revisão especialista, revisão de provas e verificação final. A verificação consiste na auto-revisão global da tradução feita pelo tradutor antes da entrega. A revisão é obrigatória e deve incluir uma comparação bilingue entre os idiomas de origem e de destino. A revisão especialista é uma revisão monolingue da língua-alvo por um especialista, que não necessariamente tradutor. A revisão de provas (proofreading) é uma revisão final antes da impressão. O gestor de projeto deve, em seguida, realizar a verificação final para confirmar que todas as especificações foram cumpridas.
  • O perfil do gestor de projeto de tradução é definido pela norma ISO 17100: 2015 como responsável por todos os aspetos do processo de produção, sendo que os passos que devem ser levados a cabo na gestão de um projeto de tradução são também especificados.
  • Estabelece ainda os processos e as fases de um projeto de tradução. Faz a distinção entre pré-produção, produção e processos de pós-produção, bem como proporciona a composição de cada uma das atividades envolvidas em cada fase.

A nova norma inclui seis anexos informativos com sugestões, tais como especificações contratuais, tecnologias de tradução ou registos de gestão e relatórios. A partir da data da sua publicação, as organizações devem ser certificadas de acordo com a ISO 17100: 2015.

Sim, vamos fazer! (*)

undefined

Nada é permanente, exceto a mudança (Heráclito, há 2500 anos)


A M21 Global ajuda-o a aproveitar a mudança seja na técnica, na produção, no marketing ou nas vendas… A M21 Global ajuda-o a fazer, a criar, a vender, a inovar, a chegar ao seu interlocutor, esteja este em Espanha, ou no outro lado do Mundo.


Em 1990 a tecnologia digital deu os primeiros passos para substituir o telemóvel analógico. A Motorola, que era a pioneira na telefonia móvel e tinha nessa tecnologia o seu principal mercado, hesitou.

No debate interno discutiu-se: deve a Motorola manter o seu foco no analógico, ou mudar para o digital? Continuar com as suas competências ou iniciar um novo jogo numa posição de fraqueza? Ambas as tecnologias poderão coexistir lado a lado? Ou apenas uma irá sobreviver?

Os engenheiros da empresa defenderam em cheio o analógico. O digital era simplesmente inferior como meio para armazenar e transmitir áudio:

  • 60% da informação contida na mensagem analógica original era perdida no processo de digitalização.

O que esses engenheiros não queriam ver era que, para a maioria dos utilizadores, as vantagens da tecnologia digital (pequena dimensão e baixo preço) superavam de longe as perdas muitas vezes indetetáveis da digitalização.

Os engenheiros tinham dedicado grande parte das suas vidas à tecnologia analógica e uma mudança para o digital seria obrigá-los a reduzir os seus padrões e aprender muito a partir do zero. Assim era mais fácil ver os aspetos negativos do que os positivos.

O resultado final foi que a conversão da Motorola para o digital levou muito mais tempo do que precisava. A empresa perdeu a liderança da indústria que ela tinha inventado em 1973 para uma estreante, a Nokia, e atualmente acabou sendo apenas uma marca adquirida pela chinesa Lenovo. Também a Sony, outro gigante do analógico perdeu quota de mercado devido à sua preferência pelo analógico.

Na música gravada, a substituição do Vinil (analógico e com som de melhor qualidade) pelo CD (digital) e finalmente a opção pelo streaming online foi natural porque o digital estava já connosco.

A própria invenção do telefone encontrou resistências. Ninguém achava que fosse útil.

Numa conferência sobre o uso da nova tecnologia de impressão 3D na indústria toda a gente encontrava razões para não a usar:

  • Uma jovem subiu ao pódio e disse: "Ainda bem que não vos encontrei antes. Caso contrário, a minha empresa não teria faturado 40 milhões de dólares no ano passado. Vocês estão tão ocupados olhando para o que a impressão 3D não pode fazer que preferem ignorar o que pode fazer!"

Esta reação à novidade é recorrente. A perspetiva de abandonar investimentos já feitos e ainda não amortizados é aterradora, não se assumindo que simplesmente manter o rumo conduz ao desastre.

O segredo para evitar a estagnação e a resistência à mudança é um processo em que se diz “Sim, vamos fazer”.

Este processo de SIM, VAMOS FAZER, pode ser resumido em 4 passos:

1. Reunir o conhecimento atualizado a partir do exterior.

Não confie apenas nos especialistas internos – alguns deles podem ser guardiões do status quo. Descubra quem está a fazer o quê. Fale com as universidades e insira os seus especialistas em equipas mistas de aprendizagem, mas certifique-se de que estes não dominam a discussão.

2. Dê um pequeno passo de cada vez.

Construa conhecimentos e reduza a resistência interna por meio de experiências incrementais, explore e adapte-se a novos desenvolvimentos tecnológicos ou outros.

3. Concentre-se e defina prioridades.

Nenhuma empresa pode explorar muitas possibilidades de uma só vez. Deve começar com as opções mais promissoras e viáveis, e construir a partir de cada pequena vitória.

4. Olhe para o longo prazo.

O que é que o presente prepara para o futuro? Quais os cenários possíveis? Como preparar-se para os cenários mais prováveis no futuro? Quais as alterações sociais e políticas possíveis?

A M21 Global é uma empresa de tradução com mais de 10 anos de experiência nos mercados nacional e internacional, tendo já traduzido mais de 200 milhões de palavras. Contacte-nos, ajudamos a sua empresa nos mais variados campos.

* (com contributos da Harvard Business Review)

O que é a nova Norma de Tradução ISO 17100: 2015

undefined

O que é a nova Norma de Tradução ISO 17100: 2015?

Esta norma que substitui a norma europeia EN15038 foi publicada em 1 de Maio de 2015 e especifica novos requisitos para os serviços de tradução: ISO 17100: 2015. O facto de a norma europeia ser a base da nova norma internacional demonstra a validade da EN 15038 e é também um sinal de que esta norma foi bem recebida por todos os interessados, fornecedores e clientes.
A norma apresenta os requisitos necessários para a prestação de um serviço de tradução de alta qualidade. Quais foram então as principais alterações introduzidas?

  • A nova norma fornece uma lista alargada de quarenta e duas definições relativas a diferentes conceitos relacionados com serviços de tradução, o fluxo de trabalho de tradução e tecnologia, o controle do processo de tradução, etc.
  • Considera também as ferramentas e sistemas de TI como suporte ao processo de tradução. De acordo com a norma, os tradutores e revisores, bem como prestadores de serviços de tradução devem ter o conhecimento e os recursos necessários para serem capazes de realizar as tarefas técnicas exigidas pelo projeto de tradução.
  • Distingue entre vários tipos de revisão: verificação, revisão, revisão especialista, revisão de provas e verificação final. A verificação consiste na auto-revisão global da tradução feita pelo tradutor antes da entrega. A revisão é obrigatória e deve incluir uma comparação bilingue entre os idiomas de origem e de destino. A revisão especialista é uma revisão monolingue da língua-alvo por especialista não necessariamente tradutor. A revisão de provas (proofreading) é uma revisão final antes da impressão. O gestor de projeto deve, em seguida, realizar a verificação final para confirmar que todas as especificações foram cumpridas.
  • O perfil do gestor de projeto de tradução é definido pela norma ISO 17100: 2015 como responsável por todos os aspetos do processo de produção, e os passos que devem ser levados a cabo na gestão de um projeto de tradução são também especificados.
  • Estabelece ainda os processos e as fases de um projeto de tradução. Distingue entre pré-produção, produção e processos de pós-produção, bem como proporciona a composição de cada uma das atividades envolvidas em cada fase.


A nova norma inclui seis anexos informativos com sugestões, como especificações contratuais, tecnologias de tradução ou registos de gestão e relatórios. A partir da data da sua publicação, as organizações devem ser certificadas de acordo com a ISO 17100: 2015.

Home ← Posts anteriores

Sobre Nós

  • M21 Global - Translating Your Business
  • M21 Global - Translating Your Business
  • Uma das melhores empresas de tradução empregando exclusivamente tradutores nativos nas áreas da tradução técnica e jurídica , que são especialistas em variados domínios técnicos.

Pensamento

A gestão, a comunicação e a tradução estão de mãos dadas. O gestor não pode comunicar da mesma maneira com pessoas distintas. Deve adaptar o discurso ao destinatário. Isto deve ser encarado como a forma mais elaborada de tradução.